23 de ago de 2009

Gênios da Raça

Angenor de Oliveira, o Cartola, tinha onze quando passou a viver no morro da Mangueira, de onde não mais se afastaria. Nasceu em 1908; foi oló em 1980.

Gênio da nossa raça, ei-lo aqui para fazer melhor nosso dia:

Comentando sua própria obra, ele disse: "Gosto de fazer samba de dor de cotovelo, falando de mulher, de amor, de Deus, porque é isso que acho importante e acaba se tornando uma coisa importante." (Almanaque da Folha de São Paulo).

E, cá entre nós, será que existe coisa mais importante nesse mundo, meus queridos?

Nota extra: meu querido amigo Luiz Antônio Simas, dono do indispensável Histórias do Brasil, lembra que essa música é uma parceria do mestre com o nobre Dalmo Castello. Salve, Cartola! Salve, Dalmo!

7 comentários:

Diego Moreira disse...

O tempo que passa em dor maior, bem maior...

Meu velho, esse verso é maravilhoso. A garotada tinha que ouvir mais os nossos Gênios da Raça.

É um banho de Brasil.

Abraços!

Filipe disse...

Vamos fazer essa campanha, meu amigo!

Lina disse...

Gênio mesmo!

Filipe disse...

Oi, Lina!
Obrigado pela sua presença aqui!
Apareça mais vezes!
Beijo!

Luiz Antonio Simas disse...

Meu velho, que se louve também o parceiro do mestre nessa obra prima - o grande e pouco mencionado Dalmo Castello.
Abração

Filipe disse...

Belíssima lembrança, meu mestre!

Reverência mais do que necessária!

O dicionário Cravo Albin (que, aliás, o nosso dinheiro público pagou) ainda traz a seguinte passagem:

Em 1973, numa feijoada preparada por Dona Zica, conheceu Cartola. Nesta mesma tarde, nasceu a primeira parceria da dupla, "Corra e olha o céu" (...)

Se é verdade eu não sei, mas que fica bonito, isso fica!

Não me deixa esquecer esses grandes pouco mencionados, não, meu careca!

Obrigado pela contribuição!

Beijo grande!

Luciane disse...

Ah, o mestre Cartola! Sempre torna o dia melhor! Parabéns pelo teu blog! Voltarei! :)